quarta-feira, abril 26, 2017

  
Jesus no cacifo da … Polícia



“O Senhor é o meu pastor, nada me faltará” (Sl 23, 1)

Esta passagem estava num cacifo da PSP, quando há 3 anos tive de pedir ajuda por um problema de violência doméstica. Não ganhava quase nada, o meu filho era bebé, a minha mãe precisava da minha ajuda, as marcas físicas e psicológicas do que me tinham feito ainda doíam muito…

Não sabia por onde caminhar, estava muito fragilizada. Aquela passagem, num local onde menos esperava encontrar a Palavra de Deus, tocou-me profundamente. Naquele momento disse: “Não vejo nada, mas sei que essa Palavra é para mim e que me vai dar forças.”

Assim foi. Mesmo quando cheguei ao ponto de mal ter dinheiro para comprar iogurtes ao meu filho – não estava a aceitar bem o leite -, essa Palavra lá estava… E a solução surgia.

A Palavra de Deus é viva, mas nem sempre percebemos como. Acredita, quando menos esperares – às vezes naqueles momentos derradeiros, em que não se vê qualquer luz ao fundo do túnel – Jesus vai falar.


Dá-lhe a mão, segue-O, ama como Ele ama, pede perdão quando caíres e entrega todos os momentos a Jesus. Porque “nada me faltará” é uma promessa de Jesus e Ele não mente…


quarta-feira, abril 19, 2017

A imagem denegrida da Igreja Católica pode estar … na tua cara!





Estava no parque infantil com o meu filho. Uma mãe de 3 crianças, uma ainda dentro da barriga, começou a conversar comigo. Começámos por conversas banais, até que surgiu … Jesus.

Esta irmã em Cristo frequenta a Igreja Pentecostal e ficou muito admirada por saber que na Igreja Católica também há grupos de oração – que se realizam inclusive em casa -, que existe leitura e meditação da Palavra de Deus, que se ora a Jesus por palavras soltas, vindas do coração, sem ser obrigatório recorrer apenas ao terço ou ao Pai-Nosso e Ave-Maria.

Falei-lhe das missões, mesmo em Portugal, e de como a Igreja que ela conhece não é apenas a que passa na TV, onde imperam os escândalos e a ideia de que somos dados apenas a rituais sensabor, onde a alegria não existe.

No final abraçámo-nos e sorrimos. E eu fui para casa a pensar: Infelizmente, é normal que esta irmã não conheça a Igreja Católica!

Pensem bem: Nós, cristãos católicos, passamos a vida a queixar-nos e envergonhar-nos, muitas vezes, de expressar a alegria e a vida em abundância que Jesus nos deu (Cfr Jo 10, 10)!?


É caso para dizer que estamos a enterrar os dons que Jesus nos dá (Cfr MT 25, 14-30). Deixemos a cara feia, deixemos o Espírito Santo agir em nós! J


quarta-feira, março 15, 2017


“Peça ao médico para me dar um comprimido para dormir e nunca mais acordar”






Hoje fiz uma reportagem num serviço de Ortopedia de um hospital de uma grande cidade. E lembrei-me da Palavra:

“Meu filho, ampara o teu pai na velhice e não lhe causes desgosto enquanto ele vive. Mesmo que ele esteja perdendo a lucidez, procura ser compreensivo para com ele; não o humilhes, em nenhum dos dias de sua vida: a caridade feita ao teu pai não será esquecida, mas servirá para reparar os teus pecados e, na justiça, será para tua edificação.” Eclo 3, 14-17

A senhora deve ter 90 ou mais anos, o cabelo é como neve e está internada por causa de uma queda. Aliás, da queda já está a recuperar, mantém-se no hospital, porque não tem para onde ir.

Quando falei com ela, pegou-me com muita força na mão e pediu-me: “Peça ao médico para me dar um comprimido para dormir e nunca mais acordar. Quando caí, devia ter batido com a cabeça, agora estava morta.”

Aquelas palavras caíram como um balde água fria. Disse-lhe que tinha um sorriso lindo, fiz-lhe festas com a mão que estava livre – a outra ela não a largava – e não referi uma palavra em relação ao comprimido. Não sabia o o que dizer…

Quando lhe falei do sorriso, ela disse-me que tinha perdido uma filha, que o pai gostava muito de fado e que ela própria cantava. E começou, com um sorriso lindo nos olhos: “Ai, quem me dera Ter outra vez vinte anos/ Ai! Como eu era Como te amei” (O Meu Primeiro Amor de Amália Rodrigues)

Bati palmas, dei-lhe um beijo e disse: “Canta tão bem, faça-o e sorria. É tão bonita!” E ela sorriu, deixou de pedir para morrer e o sorriso não estava só nos lábios, mas também nos olhos.

Chocou-me muito ver a senhora sem ter uma família para onde ir. O que estamos a fazer aos nossos velhos? Não nos lembramos que também vamos ter rugas, cabelos brancos, falhas de memória, falta de força nas pernas?

Jesus, acolhe esta senhora! Para onde vai? Para um lar onde não há grande humanidade e onde vai ficar numa cama até morrer de tristeza?



quinta-feira, março 02, 2017

Sofres com paciência a fraqueza dos que estão mais próximos de ti?




“Sofrer com paciência as fraquezas do nosso próximo” é uma das obras de Misericórdia espirituais.

Como estamos em relação a esta obra? Será que temos paciência para os erros dos nossos filhos, dos nossos pais (se calhar já idosos), do nosso marido/mulher?

É fácil esquecer e aguentar as imperfeições daqueles que mal conhecemos. Mas é muito mais difícil quando estamos a falar dos que fazem parte da nossa vida todos os dias…


Oração: 
Jesus ajuda-nos a sofrer com paciência as fraquezas dos outros, pois, quando é connosco exigimos sempre que nos perdoem! 



quarta-feira, fevereiro 08, 2017

Será que a tua fé é fechada, vivida em quatro paredes?



Vamos a muitos encontros para pedir a cura, para desanuviar do dia-a-dia, para chorar aos pés de Jesus… E ainda bem que assim é. Só Jesus é o caminho, a verdade e a vida! (Jo 14, 6)

Mas já pensaram que só pedimos? A fé é, na maioria dos casos, muito fechada.
Afinal, o que é que Jesus nos pede? Qual é a nossa missão? Precisamos receber, mas também dar! Neste frenesim de encontros – que são importantes -, quantas vezes já perguntámos quantos talentos (Lc19,12-27) estamos a enterrar?

Permitai, Senhor, que nos levantemos desta fé fechada, fortalece-nos para que saibamos assumir um compromisso.

Como aquela senhora de 80 anos, com problemas de mobilidade, que descobriu que a sua missão passava por organizar cenáculos de oração com as vizinhas… 



quinta-feira, janeiro 19, 2017


Não há idade para se sair em missão! Nem que tenhas 80 anos ou mais!

 


 

A senhora já estava na casa dos 80 anos e andava de bengala. Foi ter com o padre, depois de o ouvir numa palestra e disse-lhe: “Sr. Padre, já sei qual é a minha missão, o que Jesus me pede!”

Sabem qual é a missão? Reunir-se com umas amigas, em casa, para orar pelos irmãos em Cristo.

Parece simples, nada de extraordinário? Mas a missão é isso: O que Deus nos pede não ultrapassa as nossas capacidades, as nossas forças.

Uns podem ir para África, outros para a Síria, outros para um bairro problemático da nossa cidade …

Outros – senão a maioria – são chamados para a missão de orar, de educar uma criança travessa, de aguentar um trabalho duro para dar de comer aos nossos filhos, entregando tudo para conversão dos pecadores e para completar as chagas de Cristo (Cfr. Cl1, 24)

Não compliques! Deixa Jesus mostrar-te o que Ele te pede ao longo das várias etapas da tua vida. E, aí, mesmo com o sofrimento normal da vida, vais ver como encontras a verdade e a felicidade. J

quinta-feira, dezembro 22, 2016


E a prenda de Jesus?

 

 

Já uma vez fiz isto. Mas não custa voltar a perguntar.

Quem faz anos no Natal é Jesus (independentemente de não ser a data exata, pois ninguém sabe qual é).


Que prenda gostarias dar a Jesus? ;)